Notícias

NOTA: Secretaria Mulheres do PT- SP repudia ataques sofridos por mulheres no transporte público

04/09/2017

A Secretaria Estadual de Mulheres do PT repudia a violência sexual que uma mulher, uma cidadã, sofreu dentro de um ônibus na avenida Paulista no último dia 29 de agosto, quando um homem ejaculou na vítima. O agressor, com cinco suspeitas de estupro na polícia, preso em flagrante, foi liberado pela justiça que considerou apenas que ele “importunou alguém em local público de modo ofensivo ao pudor”. Ofensivo ao pudor???? Se nem mesmo a justiça reconhece que ser depósito de esperma em praça pública contra sua vontade é sim, um ato de violência, por que a sociedade e os agressores em geral deverão se sentir minimamente intimidados?>

A naturalização da violência contra as mulheres é cada vez mais constante e cotidiana. Tratada como casos de menor potencial agressivo, vai-se criando o caldo cultural permissivo que abandona às vítimas à própria sorte; e à condenação moral por uma parte expressiva da população que mantém relações promíscuas com a violência em todas as suas formas: institucional, policial, judiciária e em especial, de gênero.

O direito ao próprio corpo é uma insígnia da civilização democrática e dos direitos civis, individuais. No entanto, nesta sociedade misógina e machista, a mulher não tem conseguido garantir esse direito básico, o direito ao próprio corpo, que distingue a barbárie da civilização. Nosso corpo não é público! Tirem as mãos de nossos corpos! Digam não à violência contra as mulheres!

Marta Domingues – Martinha, Secretária Estadual de Mulheres do PT/SP