Notícias

Corte no orçamento de Temer atinge Luz Para Todos

04/09/2017

A denúncia da desconstrução do país e de todas as conquistas dos últimos anos esteve presente nestes 20 dias da caravana Lula Pelo Brasil, que chega ao fim nesta terça-feira (5). Lula viajou para nove estados do Nordeste para conversar com o povo, e descobrir “porque o Brasil estava bom, e piorou tanto”, nas palavras do ex-presidente.

Uma notícia publicada na segunda-feira (3) pelo jornal “O Estado de S. Paulo” revela mais uma face desse desmonte. O programa Luz Para Todos, uma das grandes marcas dos governos de Lula e Dilma nas zonas rurais do país, está sob ameaça.

O programa atendeu a mais de 3,2 famílias levando energia elétrica para zonas que antes viviam na escuridão. Com os cortes orçamentários promovidos pelo golpista, porém, o Luz Para Todos recebeu, entre janeiro e maio, apenas 6,5% do previsto para 2017, segundo o jornal. Foram apenas R$ 75,9 milhões dos R$ 1,172 bilhão previstos para o ano.

Já segundo o Ministério de Minas e Energia, até julho, foi executado R$ 252 milhões, o que representa apenas 21%. Com isso, famílias que vivem em casas ainda sem luz tiveram seu sonho adiado.

“Eu nunca esqueço de uma história que o Lula me contou, sobre a mãe de uma família que não dormiu a noite inteira quando chegou luz na casa dela. Porque ela nunca tinha visto o filho dela dormindo e, com a luz, pôde ver pela primeira vez”, conta o deputado Patrus Ananias (PT-MG).

Para Patrus, o desmonte do Luz Para Todos tem a ver com dois fatores. Por um lado, a privatização das empresas públicas brasileiras. A Eletrobras é a primeira da fila. “Implantamos o programa com a referência do setor elétrico, da Eletrobras, da Cemig. Na medida em que o setor elétrico está sendo privatizado, isso assina a sentença de morte do Luz Para Todos”, diz ele.

Para ele, com a privatização, a parte da justiça social, do atendimento aos mais excluídos, que moram em zonas mais distantes, e aos mais pobres, fica completamente esquecido. “O setor elétrico fica a serviço do ganho e do lucro”, analisa.

“É mais um que está sendo desmontado”, afirma o deputado José Guimarães (PT-CE). Todas as políticas dos governos petistas que haviam sido transformadas em políticas de Estado estão sendo destruídas, segundo o deputado. “Estão vendendo o Brasil a preço de banana”, disse.

O corte do programa também prejudica o próprio desenvolvimento econômico. A falta de energia impossibilita a modernização do trabalho no campo e a criação de agroindústrias, por exemplo.

“Isso tem impacto na renda, na produção. É a morte para a economia local”, afirma Guimarães. Segundo ele, faltava um percentual pequeno para a universalização do acesso à luz.

O outro ponto, segundo Patrus, é que as políticas sociais são integradas, e estão sofrendo um desmonte transversal. Milhares de famílias foram retiradas do Bolsa Família, por exemplo.

“O êxito do Bolsa Família, por exemplo, foi exatamente pela integração com outros programas, inclusive o Luz Para Todos”, disse.

“Segurança alimentar, apoio a agricultura popular, cozinhas comunitárias, o Pronaf, o PAA. Está tudo interligado”, explica o deputado. Patrus destaca a dimensão humana, das famílias mais pobres que serão diretamente impactadas.

“Os golpistas vão tentar impulsionar o crescimento, mas com uma submissão ao grande capital internacional. Há um total descompromisso do governo golpista com as populações mais pobres, com as políticas de inclusão social”, diz ele.

Agência PT de Notícias