Destaques

Prascidelli apresenta voto em separado reforçando denúncia contra Temer

13/07/2017

O deputado Valmir Prascidelli PT-SP, em sua manifestação na Comissão de Constituição, destacou a gravidade dos fatos contra Temer na denúncia da Procuradoria-Geral da República e enfatizou que a Constituição determina a responsabilidade da Câmara no encaminhamento da denúncia ao Superior Tribunal Federal.

"Nós não queremos defender a linha adotada pela PGR ou Ministério Público, que extrapolam em muitas ações, muito menos defender Joesley. Queremos apenas que Temer seja julgado pela acusação de crimes oriundos daquele diálogo com várias passagens não republicanas, com um empresário a altas horas da noite no Palácio do Jaburu, fora de horário e sem registro oficial", disse.

Valmir Prascidelli também apresentou voto em separado ao parecer do relator Sérgio Zveiter, acrescentando outros argumentos jurídicos para reforçar a denúncia contra Temer. Na mesma linha do deputado paulista, o deputado Assis Carvalho (PT-PI) lembrou um dos pontos mais escandalosos contidos na denúncia contra Temer, o acerto detalhado por um executivo da JBS do 'plano de aposentadoria' com o pagamento de RS 500 mil por semana.

"Na conversa (com Joesley), transcrita na denúncia, Temer claramente indica Rocha Loures como seu interlocutor para o recebimento da propina. Segundo a delação de executivos da JBS, essa propina seria paga, semanalmente, durante 20 anos e seria a 'aposentadoria' de Temer. Alguém acha isso republicano?", indagou o petista.

Agenda - O debate sobre a instauração do processo contra Michel Temer prossegue hoje (13), no plenário 1.